10 formas de poupar e ser mais feliz

[singlepic id=99 w=320 h=240 float=]
01 Trabalhe menos

A palavra-chave é produtividade. “A optimização do tempo de trabalho e o aumento da produtividade deveriam ser os principais focos dos portugueses. Se estivermos focados na inovação e na melhoria dos métodos de trabalho, poderemos trabalhar um tempo pré-definido, ao mesmo tempo que aumentamos o valor do que produzimos”, explica Pedro Queiroga Carrilho, autor do primeiro guia de finanças pessoais português. Se conseguir ser mais produtivo no trabalho, não necessita de fazer horas extraordinárias.

02 Mude a rotina

Ao fim de algumas semanas a trabalhar no mesmo sítio é normal entrar numa rotina difícil de abandonar. Se desenhar num papel o seu dia, desde que acorda até se deitar, é provável que haja muita coisa a mudar. Por que não evita a hora de ponta? Ir para o trabalho e para casa juntamente com a maioria dos trabalhadores da sua região é penalizador. Combine com o seu chefe ir uma hora mais cedo ou uma hora mais tarde, compensando na saída. Verá que consegue cortar o tempo perdido em transporte para metade. O teletrabalho corta o tempo perdido em transporte. Numa sondagem europeia da Avaya, empresa americana de sistemas de telecomunicações, 67% dos entrevistados afirmou que os trabalhadores em teletrabalho são mais felizes. Será que não pode propor isso no seu emprego?

03 Consolide o trabalho

Acontece a toda a gente: começa de manhã uma tarefa; é interrompido por colegas que precisam de ajuda; quando volta à tarefa, já não sabe onde ia; quando apanha o fio à meada já é hora de almoço; de tarde tem reuniões, delegam-lhe mais tarefas; no final do dia o trabalho, está na fase matinal. “Vale mais beber menos cafés ou fumar menos, ter menos discussões em grupo sobre os erros da arbitragem do fim–de-semana anterior e no fim do dia sair dentro dos horários normais para conciliar verdadeiramente a vida pessoal, família e amigos”, alerta Pedro Oliveira, director da Albenture, que ajuda as empresas a aumentar a produtividade e a reduzir o absentismo e o stress dos funcionários.

04 Corte nas comunicações

Por muito que seja produtivo, se for sempre interrompido não consegue fazer nada. Desligue o correio electrónico: os especialistas dizem que o ideal é consultá-lo três ou quatro vezes por dia. Junte essas consultas no início ou no final de períodos de trabalho, como logo de manhã, antes e depois do almoço e no fim do dia. O correio electrónico não é o único a interrompê-lo: telefone, telemóvel, twitter, mensageiros instantâneos e, até, os post-its colados ao monitor são fontes de quebra de produtividade.

05 Reduza as reuniões

Um estudo realizado na Austrália concluiu que metade do tempo de trabalho é gasto em reuniões. Embora nem todos possam seguir esta recomendação, deve procurar- -se reduzir nas reuniões. Regra geral, quanto mais reuniões tiver ao longo do dia, menos produtivas elas são. Se for chefe, minimize e concentre as reuniões. Pode, por exemplo, guardar um dia da semana só para elas. Se não é chefe, da próxima vez que lhe marcarem uma reunião, explique que tem outras prioridades e peça dispensa.

06 Pense positivo

O optimismo ajuda-o no dia-a-dia. “Num estudo (…) foi demonstrado que cultivar emoções positivas (como a alegria, o contentamento, a serenidade, o entusiasmo, o prazer) alarga a capacidade de resolver problemas. Nesse sentido, há efectivamente um contributo para o bem-estar no trabalho, já que consegue ter uma percepção mais positiva do seu desempenho e da sua eficácia, com um impacto muito positivo na redução de stress e ansiedade”, conta a psicóloga Catarina Rivero. Se for trabalhar a pensar que o dia nunca mais acaba, é natural que o tempo demore mais a passar.

07 Delegue

Delegue no trabalho. Se tem trabalhadores às suas ordens ou colegas que participam no mesmo projecto, divida o trabalho. Não pense que tem de fazer tudo. Se for preciso, dê formação antes de distribuir tarefas. Delegue em casa. É o que se chama “comprar tempo”: pague para ter tempo livre. Contrate alguém que lhe faça as grandes limpezas em casa. Contrate um contabilista que lhe trate dos impostos. Faça as compras online com a entrega em casa.

08 Aproveite as manhãs

Dizem os especialistas que a manhã é o melhor período para trabalhar, porque a cabeça está fresca e porque ainda não se acumulou tarefas (a não ser que deixe do dia anterior). É por isso que deve agendar para a manhã os trabalhos mais intensivos em recursos cerebrais e deixar para a tarde as reuniões e os trabalhos de repetição.

09 Poupe e elimine a dívida

“Deixo um apelo ao desenvolvimento de métodos de poupança para cortar com o endividamento e como forma de promoção do investimento. A poupança é o motor do investimento e se não mudarmos alguns dos nossos hábitos excessivamente consumistas, não poderemos canalizar os nossos esforços para a geração de mais valor e riqueza”, alerta Pedro Queiroga Carrilho, que, além de autor do primeiro livro português de finanças pessoais, fundou a Kash, uma empresa de formação na área das finanças pessoais. O problema do endividamento é simples: quanto mais pedir e quanto mais durar a dívida, mais longe fica a independência financeira e, logo, a independência do trabalho. Um casal de jovens que peça um crédito à habitação de 200.000 euros durante 40 anos facilmente paga o dobro ao banco devido aos juros (basta que a taxa média seja superior a 4%). Se pagarem a dívida mais depressa, ficam livres do encargo financeiro e podem ganhar tempo, aligeirando ou abandonando o trabalho mais cedo nas suas vidas.

10 Quebre rotinas e goze a vida

Está provado que a quebra de rotina consegue aumentar o bem-estar das famílias. “Sabemos ainda que não basta desenvolver várias actividades aleatoriamente ou por recomendação, mas actividades que tenham significado para cada pessoa: ler, ir ao cinema, correr, escrever, jogar futebol, jantar com os amigos, fazer caminhadas, ir rezar no seu local de culto, etc.”, lembra Catarina Rivero, especialista em terapia familiar. Se procurar gozar a vida, verá que mesmo os pequenos momentos compensam o tempo que gasta a trabalhar. “As pessoas mais felizes são aquelas que têm uma vida social rica e preenchida”, avisa Gabriela de Abreu, da Associação Portuguesa de Estudos e Intervenção em Psicologia Positiva. Aprecie cada almoço, aproveite as noites para namorar e divirta-se com a família ao fim-de-semana. Tempo é dinheiro, mas este não tem preço.

fonte (jornal i)

Mais ideias para o seu negócio:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *