8 negócios que mais crescem em tempo de crise

8 negocios que mais crescem crise

“Os tempos são de crise.”   ” Estão muitas empresas a fechar.”    ”É difícil criar o seu negócio.”

Estas são as frase que mais se ouvem nos dias de hoje. Esqueça-as e afaste-se de quem as está constantemente a repetir. Sim estou a dizer que se deve afastar dos telejornais nacionais. A verdade é que existem imensas notícias boas que nos dariam esperança num amanhã melhor e os jornalistas apostam em notícias trágicas e que nos desanimam.

Mesmo nos tempos de crise que vivemos existem oportunidades. Lembrem-se desta frase:“Pode chorar ou pode aproveitar para vender lenços”.

Por aqui achamos que a melhor opção é a segunda e sabemos que mesmo neste momento existem negócios que pode criar que lhe vão trazer sucesso e fazer ganhar dinheiro.

Com a crise as pessoas estão a voltar a usufruir de serviços mais básicos e a retornar  a hábitos antigos que nos últimos tempos foram perdendo utilizadores e negócios. Esta é a altura certa para criar um negócio numa destas áreas.

Deixamos aqui uma lista de 8 ideias de negócio que crescem em tempo de crise:

1- Reparação de bicicletas

O aumento do preço dos combustíveis e a moda saudável e chique de conduzir uma bicicleta voltaram a colocar no mercado o negócio das reparações das bicicletas.

2 – Obras em apartamentos

Os créditos bancários praticamente acabaram e poucos conseguem comprar novos apartamentos. Quem já tem apartamento vê-se neste momento na obrigação de fazer obras para melhor a sua habitabilidade. Este facto faz crescer um mercado e um negócio que praticamente tinha acabado nos últimos anos.

3 – Reparação de calçado

Prolongar a vida do calçado que temos é um hábito e uma prática que praticamente tinha desaparecido. Neste momento damos hipótese a qualquer  par de sapatos que possam durar mais uns meses. É um negócio em expansão.

4 – Venda de bicicletas eléctricas

As bicicletas eléctricas estão a tornar-se uma moda. De custos reduzidos, com baixa manutenção e um custo de combustível praticamente inexistente estão a ter vendas elevadas que permitem criar um negócio de sucesso.

5 – Reparação de vestuário

A profissão de costureira praticamente tinha desaparecido. Nos dias de hoje isso já não é assim. Todas compramos roupas que precisam de um pequeno ajuste ou precisamos de dar um toque a uma peça de vestuário que já tem algum tempo e que lhe queremos dar uma 2ª hipótese.

6 – Reparação automóvel

As compras de automóveis novos nunca estiveram tão baixas. Com o parque automóvel a envelhecer os serviços de reparação automóvel estão com um crescimento acima da média. Neste momento são uma óptima oportunidade de negócio.

7 – Vendas online

As lojas físicas são cada vez mais insuficientes para garantir a viabilidade de um negócio.  Conjugar uma loja online a uma loja física é neste momento uma oportunidade de fazer crescer o seu público-alvo da sua localidade para todo o país (pelo menos).

8 – Venda de carros usados

Como indicámos no ponto 6 as vendas de automóveis novos está ao nivel mais baixo dos últimos anos, no entanto os automóveis usados vendem-se cada vez mais. Assim abre-se portas a um negócio que se conjugado com um bom serviço de Reparação automóvel tem todos os ingredientes para o sucesso.

 

Esta é apenas uma amostra dos negócios que crescem em tempo de crise. mas existem muitos mais. Basta desligar a televisão, passear na rua. Ver o dia-a-dia dos seus vizinhos e conhecer os novos hábitos que vão adoptando. Esses hábitos são as suas novas oportunidades de negócio. 

Mais ideias para o seu negócio:

One thought on “8 negócios que mais crescem em tempo de crise

  1. Francisco

    Não sei quem exactamente escreveu este artigo, mas deixe-me dizer-lhe que existem alguns pontos no seu artigo que podem levantar dúvidas e revelar-se verdadeiramente diferentes da realidade.

    Quanto ao 1o não há dúvida. As bicicletas estão cada vez mais a crescer, dado que se revelam não só relativamente baratas, mas também como um “acessório de moda”. A partir daí as coisas são diferentes.

    2. Obras em casa é um negócio crescente? Até pelo contrário, é um negócio bastante decadente! Cada vez mais as pessoas aprendem a fazer as coisas por si mesmas, necessitando apenas de matéria bruta. Numa altura de crise, porquê pagar a alguém para fazer obras quando posso aprender e fazê-las sozinho ou com um grupo de amigos? Não se iludam, é um negócio em decadência!!
    3. A reparação de calçado está a crescer? Não, é um negócio que está a ser completamente saturado e substituído, dado que quem tem sapatos caros prefere arranjá-los em casas de excelência e com tradição (onde foram feitos, por exemplo). Por outro lado, com todos os sapatos vindo da China, estes tornaram-se de má qualidade, mas muito baratos, do tipo “usar e deitar fora”. Devido a esta falta de qualidade, mandar arranjar seria quase tão caro como comprar uns sapatos novos, e quem não prefere as novas modas às passadas? Se não acredita na minha palavra, porque não o exemplo da Baixa Lisboeta (Portugal, Lisboa), onde as casas de sapatos só se aguentam se tiverem muitos anos de história e tradição…
    4. Porquê eléctricas? Esse pequeno pormenor estraga todo este tópico… As bicicletas estão em ascensão, mas as eléctricas, não sei! Uma pessoa compra uma bicicleta por duas razões: poupar em combustível (dinheiro) ou/e ser “amigo do ambiente”. Ora, uma bicicleta eléctrica não é verdadeiramente a total solução anti-crise, ao contrário de uma bicicleta a pedal, que também é a mais amiga do ambiente, dado que não possui baterias (que não são recicláveis). Quem compra uma bicicleta eléctrica são aquelas pessoas que têm ou grandes distâncias a percorrer, ou não querem ter tanto esforço, revelando-se um grupo bastante restrito de pessoas, e um mercado ainda mais pequeno contando com os custos iniciais de uma bicicleta eléctrica.
    5. Sim, é verdade, mas as grandes companhias, tal como a 5-a-sec acabam por saturar o mercado, oferecendo preços difíceis de combater, especialmente dado que a maioria das pessoas que procura este negócio está à procura de algo que seja barato!

    A partir daqui tudo bate mais ou menos certo com boas oportunidades, apesar dos preços dos novos automóveis estarem a baixar, devido à diminuição de trabalho humano (substituído por maquinaria), o que poupa na mão de obra.

    São apenas sugestões e pontos de vista que me parecem válidos e verdadeiros.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>