Como escolher o vinho certo?

[singlepic id=124 w=320 h=240 float=]

Muitas pessoas têm a falsa ideia de que vinhos envelhecidos são os melhores.
Nem sempre isso é verdadeiro!
Há que se considerar que uma colheita de vinho tem um tempo certo para ser bebido, além de que o armazenamento que é essencial na maioria destes casos.

Essencialmente temos de saber que podemos comprar um bom vinho que seja acessível financeiramente e sem ter muito conhecimento.
Há vários vinhos bons e baratos.

Ah, “Não sei dizer se este vinho é bom, pois não entendo nada de vinho”, é uma frase bem comum, porém por mais inexperiente que você seja, basta colocar uma taça de um bom vinho e uma de um ruim que você saberá qual é o melhor.

Vamos então as dicas para escolher um bom vinho:

1 – O preço pode ser um indicador da qualidade do vinho, você não precisa comprar o vinho mais caro, mas também não vai comprar o mais barato, principalmente em supermercados onde há produtos de boa e os de péssima qualidade.

2 – Observe o líquido sob a luz, se o vinho branco estiver amarelado e o tinto muito acastanhado pode ser que esteja oxidado, uma característica de alteração pelo contacto do líquido com o ar. Para reduzir a chance de comprar vinho oxidado, escolha locais com boa rotatividade de stock.

3 – Compre vinho com menos de 4 anos, principalmente os brancos.

4 – Normalmente nos contra-rótulos das garrafas de vinho há sugestões dos pratos a serem servidos de acordo com sua característica. Uma norma usual recomenda os brancos para peixes, os tintos para carnes e os vinhos doces para sobremesas.

5 – Quando não conhecer a marca e o tipo, só compre uma garrafa desse vinho, se aprovado você pode comprar mais, se não aprovado você não fica com um produto que não quer.

6 – Faça uma lista dos nomes dos que você gostou e também dos que não lhe agradaram para serem evitados. Imagine que um dia terá a tarefa de escolher um no restaurante, é só ler a carta que você lembrará dos que mais gosta.

7 – Dica dos amigos, ou matérias especializadas que existem em revistas, jornais e na própria Internet.

8 – Seja curioso, leia sobre o assunto, os tipos e uvas usadas etc. Quando mais você se informar, mais fácil vai ser para você escolher.

9 – Opte por comprar vinho em locais especializados, lá você poderá obter uma orientação muito melhor do que qualquer outro lugar.

10 – Participar de cursos de degustação, ou mesmo montar com amigos grupos de degustação, para experimentar vários vinhos.

11 – Não beba por beber, preste atenção nos mínimos detalhes, o aroma, a cor, o paladar, à medida que se bebe mais, e mais e se presta atenção, mais se consegue identificar a riqueza das subtis gamas de sabores e aromas de cada bebida. Para que serve isso? Apenas para uma coisa: amplificar o prazer. Para chegar a esse ponto, o melhor caminho é a prática.

12 – Experimentar. Você pode não saber como escolher o melhor vinho hoje, nem amanhã, mas a medida que você vai degustando e apreciando esta bebida tão especial, vai aprendendo, aos poucos, escolher o de seu gosto, e neste caso, só sua experiência pessoal irá lhe ajudar obter a bebida de sua preferência. É seu paladar, seu gosto, que dirá aquilo que o agrada, o tipo de vinho que prefere.

Isso não quer dizer que, uma vez experimentado um vinho que agrada, o bebedor vá ficar a vida inteira amarrado nele.
A oferta hoje é tão variada que dificilmente alguém gosta somente de um tipo de vinho – a tendência é termos várias preferências.

Mais ideias para o seu negócio:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *